Plantas e as estações do ano

As plantas são criaturas muito mais complexas do que podem parecer a um primeiro olhar. Ao longo da evolução estabeleceram relações bastante fortes com as características do ambiente em que surgiram. A aparente imobilidade das plantas nos sugere uma passividade que as impossibilitaria de sobreviver. Seu organismo precisa perceber e reagir às variações do ambiente.

Como as plantas reagem

Há reações relacionadas diretamente às variações de sua atividade metabólica. Assim, nas épocas mais favoráveis, geralmente quando há calor e disponibilidade de água, seu organismo tem a atividade acelerada, marcada principalmente pela formação e desenvolvimento de novos ramos e folhas. Nas épocas menos favoráveis esse ritmo pode cair bastante, a ponto de diversas espécies desprenderem suas folhas para esperar um novo período de calor ou de chuvas para retomar seu crescimento.

Há outras reações, relacionadas à época de reprodução – que muito nos interessa, pois as flores que embelezam nossos jardins, são os órgãos reprodutivos das plantas mais modernas (angiospermas). As plantas não florescem quando estão “felizes”, mas no momento em que as chances de sucesso são maiores, seja pela condição ambiental do desenvolvimento das mudas, seja pela presença dos seus polinizadores. Por isso é importante para as plantas “saber” o que está acontecendo!

Diversos fatores são percebidos pelas plantas como sinais de que chegou o período de florescimento.Há espécies que florescem no calor, outras no frio intenso… Algumas reagem à seca, outras à volta das chuvas. Para outras, a percepção das estações do ano se dá pela variação do comprimento do dia: invernos tem noites longas e dias curtos, já os verões tem mais horas de luz durante o dia e períodos mais curtos de escuridão. Essa variação se acentua à medida em que nos afastamos da linha do equador.

O que isso quer dizer? Que as plantas têm seu comportamento alterado pelas estações do ano, que interferem diretamente em seu desenvolvimento e também em seu período de florescimento. Mas num país com as dimensões do Brasil, as estações do ano não tem características idênticas em todas as regiões…

As diferenças regionais

Por exemplo, as “águas de março que fecham o verão” são o final do período chuvoso no sudeste, mas correspondem ao início das chuvas no litoral do nordeste! Sul, sudeste e parte do centro-oeste tem variações expressivas de temperatura ao longo do ano, o que não ocorre na maior parte do norte e do nordeste. Da mesma maneira, as regiões mais afastadas do equador tem variações perceptíveis no comprimento do dia ao longo do ano, mas nos estados mais ao norte essa variação é mínima ou até inexistente.

Por essas razões as plantas podem apresentar comportamentos distintos em cada região… Podem florescer ao longo de todo ano numa região e num período específico em outra, a depender do fator que estimula seu florescimento. Podem florescer num mês em um estado e em outra época do ano em outro, cujo ambiente tenha características diferentes. Ou seja, além das variações do “ano astronômico”, as plantas reagem muito claramente às variações do “ano climático” – e temos variações brutais das condições climáticas em nosso país!

Quando plantar

Geralmente as melhores épocas para se iniciar um plantio são as que correspondem ao início da estação chuvosa (em regiões onde não há inundações sazonais, como no pantanal, por exemplo). Essa é geralmente a época em que as plantas tem o melhor desenvolvimento naturalmente – que eventualmente pode ser compensado por irrigação abundante em locais quentes e secos. Mas, ainda assim, há exceções! Em alguns locais do litoral nordestino, por exemplo, parte da estação chuvosa coincide com um período de ventos fortes e constantes, que pode dificultar a adaptação das plantas.

Cuidados a cada estação

Os cuidados com as plantas variam de acordo com a sua fase de desenvolvimento, o que pode variar de região para região. Assim é preciso garantir boa disponibilidade de nutrientes no solo no início do período de desenvolvimento de ramos e folhas, por exemplo. Já podas de contenção e formação mais drásticas devem ser feitas no período de menor atividade vegetativa da planta – que geralmente corresponde ao momento após a floração e frutificação e anterior à brotação de novos ramos e folhas. Cada espécie, em cada região pode apresentar um comportamento diferente.É possível categorizar plantas pelas estações do ano?

É mais adequado, embora menos comum, tentar categorizar as plantas pelo clima em que vivem e pelas características do ambiente que induzem a mudanças em suas atividades biológicas. Assim há plantas para regiões de temperatura estável e elevada e plantas que precisam de quedas de temperatura num determinado período. Há plantas de regiões onde a oferta de água é contínua e abundante e plantas que precisam de um período seco ao longo do ano – para algumas esse período seco coincide com os meses mais frios, para outras com os meses mais quentes… Há plantas que só vão florescer quando houver noites longas… Outras ainda precisam da combinação de uma série de fatores para isso.

É importante perceber essas diferenças, porque são elas que explicam que orientações para o cultivo e indicações do comportamento de uma espécie feitas para uma determinada região nem sempre (ou raramente) se aplicam ao país inteiro. Por isso, mais que atenção ao calendário, é preciso prestar atenção a cada planta!

Comentários

Comentários