4 pontos para fazer um jardim dar certo

Essa é uma dúvida comum de quem mora em apartamentos ou espaços pequenos: é possível cultivar plantas? Para quem adora um jardim e não abre mão do verde mesmo sem ter uma área externa, a ótima notícia é que dá para manter plantas saudáveis até mesmo em um pequeno apartamento.

Mas, fique atento: assim como na natureza, há locais com condições inadequadas para o desenvolvimento de plantas. Se, por exemplo, o hall não tiver iluminação, não há espécie que possa crescer ou viver ali.

É necessário estar atento a algumas questões fundamentais para não errar na escolha da espécie e nos cuidados que ela exige. Com algumas dicas valiosas você terá sucesso em manter suas plantas em condições ideais e seu jardim sempre vivo e bonito.

De onde veio a minha planta?
O mais importante para que tudo dê certo é sempre considerar a origem da planta. Como há espécies originárias nos mais variados ambientes, é sempre possível escolher uma adequada para cada espaço.

Saber o ambiente de origem da planta é essencial para conhecer as características e as necessidades dela. Se, por exemplo, a espécie que você quer cultivar é originária de uma floresta tropical, deve ser oferecido a ela um ambiente similar: temperaturas elevadas e estáveis, alta umidade do ar, proteção contra correntes de ar, ambiente sombreado ou semissombreado, solo úmido e rico em matéria orgânica.Por outro lado, se a planta tiver origem em uma região semidesértica, provavelmente você precisará de um lugar em que haja exposição prolongada à luz solar, solo com alta capacidade de drenagem e regas espaçadas.

Por isso, observe as características do ambiente no qual pretende cultivar sua plantinha para escolher a espécie mais adequada, avaliando sempre esses aspectos: você mora na praia ou na montanha? Na Amazônia ou no cerrado? No sul ou no nordeste do país?
Pense também em sua localização: é no térreo ou no 30°andar? Tem quantas horas de sol direto? Há vento encanado? Analisando estas questões, você consegue identificar qual planta se adapta mais ao ambiente que você pode oferecer para ela.

Os 4 elementos essenciais

Para obter sucesso no cultivo de plantas até mesmo em um apartamento, há quatro pontos básicos, mas que exigem sua atenção, pois o descuido com algum (ou mais) deles pode trazer danos às suas plantas e acabar com seu jardim. Acompanhe:

1 – Luz: plantas “comem” luz, ou seja, elas utilizam a energia luminosa na fotossíntese. O respeito às condições de luminosidade é fundamental: as chamadas plantas de sol precisam de 6 a 8 horas de luz solar direta; plantas de meia sombra preferem 3 a 4 horas de luz solar direta; plantas de sombra não toleram incidência de luz solar direta.

Poucas espécies toleram variações expressivas nesse quesito, o que significa que não adianta insistir em cultivar uma planta em um lugar inadequado para ela – informação, neste caso, é o fator crítico de sucesso do cultivo da sua planta. Por exemplo, se o ambiente é fechado, certamente as condições de luminosidade são menores e isso significa que plantas que têm necessidade de luz solar direta para esses locais não são recomendadas.
E lembre-se: mesmo entre as que preferem ausência de luz solar direta, há plantas com diferentes exigências em relação ao nível de luminosidade e a escolha correta pode garantir o sucesso da sua escolha.

2 – Água: o controle da irrigação é fundamental. Há plantas que preferem o solo sempre úmido e outras que precisam de menor umidade. Fique atento: pouquíssimas plantas ornamentais toleram solos encharcados.
É preciso sempre garantir boa drenagem nos vasos e ajustar a frequência da irrigação em função das necessidades específicas de cada espécie. Da mesma forma que a falta de água pode matar sua planta, o excesso de irrigação é um problema comum, mesmo que cheio de boas intenções.
3 – Solo: a qualidade do solo ou do substrato de plantio também deve reproduzir as características do ambiente de origem da planta em textura, matéria orgânica e composição mineral.
Há plantas que preferem solos argilosos, outras, solos arenosos e com boa capacidade de drenagem. Há espécies exigentes em matéria orgânica e outras que necessitam de adubação específica no plantio.
De maneira geral, o mínimo que se deve oferecer à maior parte das plantas ornamentais mais comumente cultivadas é um solo rico em matéria orgânica (esterco ou composto orgânico), muito macio e aerado (fofo). Invista sempre em um bom preparo do solo que você verá a diferença!
4 – Adubação: para se desenvolver, as plantas consomem os nutrientes armazenados no solo. Em ambientes naturais, folhas, frutos e animais mortos passam por decomposição, criando uma camada superficial mais rica, em que as plantas obtêm os nutrientes necessários ao seu crescimento.
Em ambientes urbanos, essa recomposição da camada fértil do solo é rompida por que geralmente não permitimos a formação dessa camada superficial em decomposição.
Dessa maneira, é preciso substituir um processo que ocorre naturalmente por um processo artificial: a adubação regular. Planeje ao menos quatro adubações ao ano para garantir a reposição adequada de nutrientes.

Como escolher a planta

Na hora de escolher a planta, lembre-se de observar com atenção as questões mencionadas anteriormente. O segredo é saber avaliar o ambiente, para então escolher a planta mais adequada. Muitas vezes “aquela” planta pela qual você se encantou não encontrará condições de sobrevivência no ambiente que você pode oferecer a ela.
Plantas não são objetos e não é por que uma planta “ficaria” linda naquele cantinho especial, que ela efetivamente “ficará”. Assim antes de escolher a cor das flores, ou a forma das folhas é preciso limitar suas opções às espécies que efetivamente viverão saudáveis no lugar onde você pretende cultivá-las.

Siga o roteiro: primeiro limite suas escolhas às condições ambientais (temperatura, luminosidade, umidade do ar, ventos), depois considere o tamanho (volume da copa, espaço para raízes) e só então, e entre as espécies possíveis, faça escolhas baseadas em critérios estéticos (formas, cores, texturas). Sempre dá certo!

Comentários

Comentários